Obliterated‘ continua chamando atenção mesmo após 1 mês do seu lançamento, o que vem nos rendendo ótimas entrevistas de Shelley Hennig. A mais recente, lançada em um site sobre saúde física, nos contemplou com várias novidades sobre o passado da atriz. 

Confira a entrevista de Shelley Hennig para a Muscle and Fitness, na qual ela fala sobre sua vida de Miss, atriz e muitos mais: 

Shelley Hennig parece extremamente confiante enquanto exibe seu charme sexy na série de ação, comédia e drama provocante da Netflix, “Obliterated”, mas a ex-dançarina e rainha da beleza teve que lidar com luto, autodúvida e síndrome do impostor para brilhar na tela. Em uma entrevista exclusiva com a M&F, a deslumbrante estrela fala sobre o processo de parecer, e mais importante, sentir-se bem para o papel em questão.

Crescendo em Louisiana, a jornada de Hennig rumo ao estrelato em Hollywood é uma história de grandes altos e baixos trágicos. Quando era jovem, infelizmente perdeu seu irmão Brad em um acidente de carro causado por um motorista embriagado. Felizmente, seu amor pela dança, começando com aulas nos River Parishes, proporcionaria uma distração de seu luto e, eventualmente, seria o catalisador para moldar sua vida como atriz. “Eu passava de 5 a 6 horas depois da escola, praticamente todos os dias, com minha família de dança”, lembra Hennig. “Isso me ajudou em muitas coisas na minha vida. Eu adoro me sentir bem no meu corpo e, na verdade, para entrar na maioria dos meus personagens começo pelo físico. Qual é o mundo físico deles? Devido ao meu histórico de dança, isso se tornou uma maneira divertida de entrar nesses personagens.” Muitos telespectadores conhecem Hennig pelo personagem ‘Stephanie Johnson’ em “Days of Our Lives”, onde apareceu em 470 episódios, ou na série e filme “Teen Wolf” (2014-2023), entre outros projetos. Mas como ‘Ava Winters’ no sucesso da Netflix, “Obliterated”, a beleza finalmente se sentiu forte e confiante o suficiente para se expor em cenas seriamente sensuais e reveladoras. 

Como dançarina, Shelley Hennig competiu em competições regionais e nacionais no circuito Star Systems, tanto em grupos quanto como artista solo, apresentando números de sapateado, jazz e balé. “Acho que meu estilo era mais como o estilo da Broadway, de (Bob) Fosse”, reflete ela, comentando que à medida que crescia, teve que se adaptar aos seus membros mais longos. “… quando eu tinha onze ou doze anos, minhas pernas cresceram mais do que meu tronco, e tive que me ajustar nesse novo corpo. Eu só lembro dos membros estarem por toda parte, e eu tendo que aprender a controlar isso.” A sugestão de sua professora de dança, Samantha Sidwell, levou Hennig a participar da competição para ser nomeada ‘Miss Teen Louisiana’ como uma forma de encontrar um desafio que a mantivesse ocupada após a tragédia familiar. “Minha professora de dança sempre via algo em mim”, diz a estrela. “Ela achava que eu deveria fazer algo maior do que eu, e eu meio que fui levando isso, e quando percebi, já era ‘Miss Teen Louisiana’ e depois ganhei ‘Miss Teen USA'”. Os prêmios por vencer o Miss Teen USA em 2004 incluíam um contrato de modelagem com a Trump Modelling Management e uma bolsa de estudos de atuação com o New York Conservatory for Dramatic Arts. Como ‘Miss Teen USA’, Hennig viajou pelo mundo representando a Miss Universe Organization, mas sua nova vida longe de casa apresentou seus próprios desafios mentais em relação à busca de uma identidade.

SHELLEY HENNIG BANIU A SÍNDROME DO IMPOSTOR GERANDO IMPACTO

“Foi simplesmente uma constante síndrome do impostor”, diz Hennig ao lidar com seu papel como Miss Teen USA. “E, não é que eu não acreditasse que deveria estar lá, eu não tinha uma opinião sobre isso de um jeito ou de outro. Você sabe, você é jovem e apenas, pelo menos para mim, eu apenas aceitei. Eu era maleável e apenas me adaptei.” Apesar das óbvias inseguranças que ser uma ícone adolescente poderia trazer, Hennig consegue olhar para trás carinhosamente nesses anos formativos com orgulho. “Fiz uma turnê com a USO”, ela lembra, sorrindo. “Consegui visitar as tropas.” Avançando para “Obliterated”, Hennig interpreta uma agente fictícia da CIA que nos salva de um desastre iminente. “Meus amigos de Louisiana estão assistindo à série e eles estão apenas me lembrando de tantas coisas que tive a oportunidade de vivenciar, e realmente tudo começou com Miss Teen USA. Olhando para trás, não amo a responsabilidade que senti em uma idade tão jovem, quando você está apenas descobrindo a vida. Eu sentia a síndrome do impostor, tipo, por que as crianças estão me admirando? Mas fiz alguns grandes amigos, espero ter causado um impacto.” 

Na atuação, Shelley Hennig certamente causou impacto em “Days of Our Lives” e foi indicada ao Emmy duas vezes como Melhor Atriz Jovem em uma Série Dramática. Em 2016, ela ganhou um Teen Choice Award como Melhor Estrela de TV de Verão Feminina. Na vida, Hennig também causou um impacto positivo ao trabalhar com organizações sem fins lucrativos, mentorar e falar sobre as consequências do abuso de drogas e álcool. E agora ela está causando impacto na TV mais uma vez, como a agente durona e decidida a salvar Las Vegas. Para esse papel, o mais desafiador fisicamente até agora, ela complementouseu amor pela dança levantando pesos. A atriz estava ansiosa para ganhar cerca de dez quilos de músculos para parecer que poderia se virar nas cenas.

SHELLEY HENNIG SE SENTIU ‘MUSCULOSA’ PARA “OBLITERATED” 

“Foi meu terceiro projeto consecutivo”, explica a atriz ao se lançar diretamente em “Obliterated”. “[…] e eu pensei, wow, estou interpretando uma agente da CIA, uma agente de campo da CIA. Eu não tenho tempo para me preparar fisicamente, mas felizmente eu tinha um pouco mais de peso na época, e quando cheguei a Albuquerque, consegui um treinador, o nome dele é Simon (Otero), e adicionamos treinamento de peso mais intenso, e eu nunca tinha feito isso e, sei lá, eu me senti musculosa”, ela diz sobre os resultados. “E provavelmente me sentia mais forte que já me senti na vida e foi realmente bom. Foi diferente para mim, e certamente levou um segundo para me acostumar com esse novo corpo, mas olhando para a série, tive o privilégio de assistir a tudo até agora, e estou apenas feliz por ter conseguido me adaptar, ser maleável e seguir em frente, e não tentar pensar ‘oh, isso é tipo, você sabe, uma protagonista feminina de uma série da Netflix, eu tenho que ser magra? Eu não sei… Quem disse!? Tipo, qual é o papel? Quem você está interpretando?” Passando por treinamento tático e carregando armamento pesado para filmagens longas, Hennig compreendeu o papel de Ava Winters, indo além da beleza e chegando ao cerne da personagem. Realizando muitas de suas próprias acrobacias, a estrela também descobriu que, devido à sua força e condicionamento, conseguia passar por cenas intensas que exigiam que ela usasse um arnês por horas a fio, ou realizasse ginástica em cenas que exigiam agilidade e flexibilidade, como subir um poço de elevador. “Foi um sonho realizado, realmente”, diz ela explicando que não queria que as cenas parecessem falsas ou que não estivesse usando sua própria força. Orgulhosa do que alcançou através de suas inúmeras horas na academia, Hennig consegue refletir sobre um trabalho bem feito. “Foi tão legal saber que eu a) podia fazer isso e b) sobreviver a isso”, ela ri.

Fonte: Muscle and Fitness

Tradução e adaptação: Shelley Hennig Brasil

Shelley Hennig Brasil Todos os direitos reservados