Depois de ser anunciada em ‘The Last Girl’, filme com Antonio Banderas, a Netflix revelou que Shelley Hennig irá estrelar sua nova série de ação e comédia. ‘Obliterated’ é uma criação dos mesmos autores da série de sucesso Cobra Kai e, além de Shelley, contará com Nick Zano (Legends of Tomorrow) no elenco. 

Shelley interpretará Ava Winters, uma agente líder da CIA que gosta de seguir as regras enquanto supervisiona uma equipe de elite das Forças Especiais. Mas, ao que parece, tudo vai mudar quando ela e sua equipe precisarem voltar ao trabalho estando debilitados.

A série contará com oitos episódios que terão 1 hora de duração e começará a ser gravada em breve.

Veja a sinopse completa fornecida pela Netflix

Escrita por Hurwitz, Schlossberg e Heald, a série de ação-comédia de oito episódios ‘Obliterated’ conta a história de uma equipe de elite das Forças Especiais que impede uma ameaça mortal em Las Vegas. Depois de uma comemoração com álcool, drogas e sexo, a equipe descobre que a bomba que eles desativaram era falsa. Agora – de ressaca – a equipe precisa lidar com suas deficiências, superar seus problemas pessoais, achar a verdadeira bomba e salvar o mundo.

Para mais informações sobre esse e outros projetos de Shelley Hennig, nos siga em nossas redes sociais.



Na última segunda-feira (20), a plataforma de streaming Paramount+ decidiu comemorar o seu lançamento no Reino Unido, contando com a participação de grandes astros que irão estrelar suas séries e filmes. O elenco de Teen Wolf, que terminou de gravar o filme da franquia recentemente, foi convidado, mas nem todos puderam comparecer. Entretanto, para nossa alegria, Shelley Hennig não ficou de fora da celebração.

Shelley compareceu ao evento vestindo St. John e ao lado de seus colegas de elenco Tyler Hoechlin, Tyler Posey, Crystal Reed e Holland Roden. Confira em nossa galeria:



Aclamada pela crítica e querida pelo público, Mythic Quest vem roubando o coração de muitos e se tornando uma das maiores séries do catálogo da Apple TV+. A trama, que gira em torno de uma empresa de criadores de videogames, mistura humor, emoção e uma dose de seriedade. 

Em 2021, Shelley Hennig teve a oportunidade de participar de um episódio do programa, o qual narrava uma parte da vida de um dos personagens de grande importância da série. Backstory – nome do episódio – foi criado com a intenção de contar sobre o passado de C. W. Longbottom. Por causa dessa volta ao passado, pudemos conhecer A.E. Goldsmith, personagem vivida por Hennig, uma jovem escritora nos anos 80 que trabalhava ao lado de C. W. 

O episódio foi muito elogiado pela crítica, alcançando uma nota de 9.2 no IMDB, o maior da segunda temporada e um dos maiores de toda a série. E claro, depois de todo sucesso, ele não poderia ficar de fora das listas de maiores episódios da TV do ano de 2021 nas retrospectivas de revistas eletrônicas como The New York Times e Entertainment Weekly. ‘Backstory’ dividiu a lista com grandes nomes do ano como Wanda Wision, Pose e outros. O episódio e todas as temporadas da série estão disponíveis na Apple TV+.

A. E. Goldsmith chamou atenção de muitos, tornando-se parte fundamental do episódio. Por causa de tamanho destaque, Shelley foi convidada a dar algumas entrevistas sobre ‘Backstory‘, incluindo para uma das maiores revistas digitais dos Estados Unidos e do mundo, a Forbes.

Além disso, Goldsmith ganhou o coração dos fãs da série:

“O episódio desta semana de Mythic Quest é, provavelmente, minha parte favorita da TV nesse ano. A. E. Goldsmith talvez seja meu nome favorito.”

Para mais informações sobre este e futuros projetos de Shelley Hennig, acompanhe nosso site e nos siga nas redes sociais.



Depois de sua participação em Mythic Quest dando vida a brilhante A.E. Goldsmith e, também, a filha da escritora Ginny – onde o episódio foi classificado pela mídia e críticos como um dos melhores da série  – Shelley Hennig está gravando mais um projeto. 

O filme é uma comédia romântica escrita por Rob Lederer e Steve Vitolo, e dirigido pela diretora Melissa Miller Costanzo. No elenco temos nomes como Halston Sage e Chrissie Fit. Sage tem em seu currículo grandes filmes como Gente Grande de Adam Sandler e X-Men: Fênix Negra, enquanto Chrissie ganhou destaque na televisão após participar do filme Teen Beach Movie da Disney e desde então vem conquistando cada vez mais espaço na indústria cinematográfica. 

Até então, não foram divulgados muitos detalhes a respeito do filme. Entretanto, sabemos que a personagem da Shelley será uma agente de talentos e se chamará Sam. Uma das poucas coisas que já está disponível sobre a trama é a sinopse, a qual nos deixa com um gostinho de quero mais. Confira a tradução da sinopse disponível no IMDb

“Depois que seu noivo dorme com uma celebridade de sua lista de passe livre, Abby Meyers – com nada além de cinco nomes e uma fantasia compartilhada por milhões de pessoas – vai para Los Angeles a fim de conseguir dormir com alguém da lista de passe livre dela”

O filme está sendo gravado neste mês de outubro na Califórnia e ainda não possui data de estreia. Enquanto não temos certeza sobre o que o futuro aguarda para ‘The List’, os Hennigers podem esperar pelo lançamento de Gatlopp e The Woman in the House

Para mais informações sobre Shelley Hennig nos siga nas redes sociais e acompanhe nosso site.



Shelley Hennig está seguindo em frente. 

Pulando do seu mundo da dança, para um concurso de beleza e para seu espaço como atriz, onde atualmente trabalha (e está nele por um tempo), Hennig está se agarrando a qualquer possível oportunidade e tirando proveito. “Até você descobrir o que você quer, tire proveito do que, pelo menos, está na sua frente.” É um conceito simples, mas a atriz Shelley Hennig tem mostrado como isso pode dar certo. Como um jogador de poker habilidoso, ela desafiou e jogou com as mãos certas, mas nós não podemos evitar de imaginar quais cartas ela tem segurado tão perto de seu peito. Submission Beauty conversou com a atriz multi-talentosa, Shelley Hennig, sobre sua carreira e a vida privada conforme ela nos deu um vislumbre das cartas que tem em mãos. 

Posso te chamar de celebridade? 

“Não sei,” Shelley respondeu rindo. “Eu sinto que a gente teria que dar um google nisso, eu não quero errar isso.” Com 3,2 milhões de seguidores no Instagram, um título de Miss Teen USA, e mais que algumas séries e filmes populares no seu currículo, você imaginaria que a resposta seria bem clara. Mas, tendo estado nos holofotes desde os 16 anos, parece que ela está voando muito perto do sol para notar a diferença. Nós concordamos em chama-lá de “pessoa popular” e continuamos nossa conversa. 

Até agora eu pude aprender, com a nossa conversa, que sua ascensão em Hollywood não foi tão direta quanto eu pensava. Foi mais como uma oportunidade apresentada a ela em uma sequência de eventos afortunados decorrente da sua paixão – a dança. “Através da comunidade da dança e meus mentores vieram outras oportunidades que me permitiram ser parte de coisas que nem todo adolescente tem oportunidade, como onde tudo começou: O concurso de beleza, Miss Teen Louisiana USA. De alguma maneira eu ganhei o concurso e não me dei conta até participar do Miss Teen USA, então eu ganhei este – também – e comecei a viajar, o que era muito legal para mim porque eu sou de uma pseudo pequena cidade em Louisiana. Eu queria fazer algo maior que eu, mas isso foi – definitivamente – ideia da minha professora de dança e graças a Deus, pois foi assim que eu encontrei a atuação.” Saindo da comunidade do mundo da dança que ela conhecia para o palco internacional do Miss Teen USA, aos 17 anos, não deve ter sido fácil. Quando eu a perguntei sobre a pressão que ela deve ter sentido, ela se lembra de tempos de vulnerabilidade e responsabilidade. “Eu não sabia onde eu estava me enfiando. Eu lembro como eu me senti vulnerável tão jovem. Eu tinha 17 anos quando eu ganhei o Miss Teen USA e eu estava falando em público sobre assuntos adultos uma semana depois. As pessoas estavam me ouvindo e isso parecia muito bizarro, e para ser honesta algumas vezes era constrangedor falar para os meus colegas com uma tiara e uma faixa. Mas eu levei isso muito a sério e, realmente, dei tudo de mim da maneira mais identificável possível. (como quebrar as regras do Miss Universo e tirar minha saia.) Isso era o mais importante para mim. Isso e ver como minha comunidade estava orgulhosa de mim por representar Louisiana à nível nacional. Eu nunca decepcionaria eles.”

SOBRE AMOR PRÓPRIO 

“Agora, estou numa piscina, pelada, no celular com você. O que só é esquisito porque eu te contei. Mas para mim, amor próprio é se cuidar. Eu amo a água. Eu odeio trajes de banho. Entrevistas me deixam nervosa. Então, eu estou achando um meio de ficar mais confortável. Também como uma perfeccionista em recuperação, algo que me ajudou a me amar mais foi aceitar estar errada e, mais importante, estar disposta a ser ensinada. Talvez não seja surpresa, mas no passado, existia uma pressão em mim para responder e inspirar. Agora que eu ganhei mais responsabilidades pelas coisas que quero, eu sou – naturalmente – mais curiosa. E eu estou super sedenta por inspiração e conhecimento de outras pessoas. Deixar o passado para trás é algo muito vulnerável e sinto que eu estou trabalhando muito duro para isso, o que parece que está dando certo. Eu sinto como se tivesse feito muitas coisas ao contrário na minha vida. Então, não é surpresa para mim que eu me sinta como um recém nascido agora . A mesma quantidade de choro, talvez não tantas fraldas sujas, necessidade de colo constante, muito a aprender, mas feliz em estar aqui ao final do dia.” 

Ter que deixar estranhos ver sua vida durante a adolescência, e até assumir o papel de pessoa exemplar, era um conceito estranho para mim. Mesmo que ela não tenha sido um popstar na adolescência, a imagem de uma azarada Hannah Montana passou pela minha cabeça (sem o privilégio de uma vida dupla que uma peruca poderia oferecer). 

Hoje em dia, com qualquer tipo de fama vem todo tipo de criticismo indesejado e, às vezes, injusto. Será que sua vida adulta maravilhosamente privada e cuidadosamente curada poderia ser resultado de sua compreensão da necessidade de autopreservação? De primeira, ela não acredita nisso. “Eu diria que tem uma responsabilidade que vem com o ganho de seguidores. Eu me mantenho na realidade, mas eu – definitivamente – sou cautelosa e eu me sinto segura desse jeito.” Eu a perguntei se é por isso que ela criou uma bolha.  Para preservar e proteger seu verdadeiro eu. Ela pausa, e então ri.  “Essa é uma boa pergunta. Eu não tenho certeza do que veio primeiro. Acho que estou tentando cuidar da minha ressaca de responsabilidade com um entretenimento leve – falar sobre as repercussões de beber bebidas alcoólicas e dirigir, como Miss Teen USA, pouco tempo depois de perder meu irmão por causa disso, me feriu. Eu fiquei feliz em me afastar disso, mas então as redes sociais nasceram e eu me senti pressionada novamente. Eu acho que, agora, as pessoas que me seguem apreciam a pausa da realidade dura da vida. Eu acho que eu guardo as minhas partes mais vulneráveis para o meu trabalho como atriz.” 

“… as pessoas vão fazer suas pesquisas, e eu sentia como se o que tinha lá sobre mim era sobre mim e não de mim.”

“…Vi a oportunidade de conquistar minha imagem.”

Independentemente de quão perto do peito ela decidiu se retratar na mídia, ela definitivamente realizou seu desejo de entreter. Digo a ela que uma olhada de cinco minutos em seu IG sempre me deixa apreciando seu tipo único de humor e conectando-me com o humano por trás de sua popularidade. “Estou tão feliz em ouvir isso. A única coisa reveladora sobre minhas redes sociais é meu claro amor pelo estilo de vida nudista do deserto. Sou inspirada por outros que mergulham um pouco mais fundo e adoro compartilhar o trabalho árduo que estão fazendo. Sinceramente, só quero fazer um show de variedades”.

Hennig tem tido bastante sucesso em moldar sua imagem de uma forma autêntica, ao mesmo tempo em que oferece a si mesma alguma proteção. “Parte do motivo pelo qual ganhei uma conta no Instagram foi para consertar minha pesquisa de imagens do Google, para ser totalmente honesta. Não representava quem eu era. Sempre confundia as pessoas quando me conheciam na vida real e eu odiava isso. Quando comecei com tudo isso, foi uma época em que você tinha menos controle e quem estava no controle, estava mais preocupada em encaixá-lo em um molde do que permitir que você se expressasse. Mas era uma época diferente. Agora você tem mais a dizer e espera-se que contribua, e a alternativa parece ridícula. Eu mantenho isso bem simples na minha vida pessoal. Meu estado natural é provavelmente o visual de paparazzi de posto de gasolina de Britney Spears que grita conforto. Nós crescemos não muito longe um do outro e andamos descalços de onde viemos. Em um evento, adoro usar um grande número/vibração de dança ou patinação no gelo, e quando estou desenvolvendo um personagem, uso o estilo como uma forma de entrar e estou disposta a correr mais riscos quando faço isso.”

NA BELEZA
“Acho que a Geração Z está mudando o que“ beleza” significa e estou aqui para isso. Não há molde. Quanto à merda da superfície, cansei de toda a confusão. Não sinto falta de usar uma mecha no cabelo e minha base é um pouco mais transparente. Estou gostando de ser mais reveladora e menos complicada. Estou feliz que é onde podemos estar agora. Exceto quando eu for para casa no sul. Meu melhor amigo está sempre, “Cadê seu delineador!?””

Na minha opinião, a atriz Shelley Hennig não tem problemas em correr riscos ou em ser versátil. Eu pensei, como um super fã de The Secret Circle e amante do terror do tabuleiro Ouija, ela poderia fazer tudo. Só quando ela fala de seus papéis atuais e futuros como uma espécie de crescimento é que a caixa que esses papéis criaram para ela começa a se mostrar. “Eu não estou mais brincando de adolescente. Cada título que eu tive tem a palavra “adolescente” nele. Agora, estou fazendo um projeto chamado “The Woman in the House”. Eu não sou a mulher da casa, mas não estou mais brincando de adolescente, obviamente.” Eu pergunto como é viver em um mundo adulto enquanto desempenha esses papéis de adolescente, e ela responde quase que instantaneamente, sem hesitação. “Foi divertido! Foi uma fuga. E estava segura. Sinto tudo menos segura o que estou fazendo agora e isso é emocionante também.”

Pela voz dela, parece que ela está exatamente onde deveria estar. Ela está animada para colocar no trabalho necessário para crescer, cavar mais fundo e permanecer fiel ao seu eu mais autêntico. “Em algum lugar o perfeccionismo parou de funcionar para mim. Isso me levou muito longe em uma indústria muito intensa, mas parou de me deixar feliz. Estou tentando estar mais presente agora. Eu tive que trabalhar para abrir mão do controle porque estava me deixando doente. Eu estava tentando descobrir o que era esse sentimento de trancamento, e era pressão. Mas quando pensei em quem estava me pressionando, percebi que era eu mesma. Agora, estou dizendo a mim mesma para calar a boca e viver minha vida, e é mais fácil falar do que fazer, mas está me dando relacionamentos mais significativos, me deixando muito mais feliz e acho que está tornando meu trabalho mais interessante.”

EM ENCONTRAR SENTIDO DE SI
“Uma jornada sem fim que exige muito trabalho árduo e apoio dos entes queridos. Nem sempre fiquei segura com minha identidade. Era mais fácil para mim quando era mais jovem e mais difícil à medida que cresci. Eu não estou tentando descobrir, no entanto. Tenho gostado de imaginar o que faremos quando o mundo se abrir novamente. Estou tentando ser aberta, o que espero que me traga ao meu eu mais autêntico, porque acho que há muito território desconhecido.”

Entrevista: Submission Beauty | Tradução: Shelley Hennig Brasil

Confira o ensaio fotográfico de Shelley Hennig para a Submission Beauty na galeria do SHBR!

INICIO > PHOTOSHOOTS > 2021 > SUBMISSION BEAUTY



De acordo com o The Wrap, Shelley foi escalada para o novo filme intitulado ‘Bibi’ confira a tradução da matéria:

Shelley Hennig, a atriz mais conhecida por interpretar Malia na série Teen Wolf, vai estrelar um suspense psicológico na mesma linha de A Semente do Diabo, chamado Bibi.

O roteirista Christopher Beatty está fazendo sua estréia na direção no longa, e o filme está sendo produzido por Glen Trotiner (Perigo na Montanha, Big Time Adolescence) e co-produzido por Logan Hunter.

Bibi conta a história de Vivian (Hennig), que mora em uma mansão isolada com sua filha adolescente, Bibi. As duas se sentem cada vez mais assombradas pela morte da irmã gêmea de Bibi, ocorrida na casa anos antes. Em última análise, o segredo de longa data do que realmente aconteceu é finalmente revelado.

Bibi espera começar a produção neste verão em New Jersey, e o elenco está em andamento para a adolescente interpretar a personagem-título. Stephanie Holbrook é a diretora de elenco do filme.


“O roteiro foi surpreendente até a página final. Só precisava ser feito para que o público pudesse experimentar o mesmo. Estou emocionado por trabalhar com uma atriz tão talentosa como Shelley para ajudar a dar vida às palavras de Chris e ao personagem”, disse o produtor Trotiner em um comunicado.



SHELLEY HENNIG Brasil • Hospedado por Flaunt • Layout por Lannie D