À medida que a 2ª temporada de Mythic Quest avança para a meia temporada, a história de fundo do personagem mais excêntrico da série original da Apple TV +, C.W. Longbottom, é finalmente revelada na íntegra. Quando o jovem aspirante a escritor de ficção científica chega a Los Angeles na década de 70, C.W. estabelece uma relação de colaboração com os escritores emergentes A.E. Goldsmith e Peter Cromwell. Goldsmith é interpretada por Shelley Hennig de Teen Wolf e sua personagem desempenha um papel vital na evolução de C.W. de uma sonhadora para a arrogante redatora principal do MMORPG Mythic Quest.

Em uma entrevista exclusiva com o CBR, Hennig falou sobre como trabalhar para imbuir mais de si mesma e decisões criativas na criação de A.E. Goldsmith, encontrando empatia na época dominada pelos homens dos anos 1970 e interpretando seus parceiros de cena Josh Brener e Michael Cassidy.

Como surgiu a oportunidade de interpretar A.E. Goldsmith?
Veio na forma de um e-mail do meu representante! A descrição que tive para A.E. foi Velma, do Scooby-Doo com Virginia Slim – vou presumir que foi [o escritor do episódio]Craig Mazin quem escreveu essa parte – e no minuto em que li, soube exatamente o que queria fazer. Isso me contou tudo, por algum motivo, e eu simplesmente fiz!

Até aquele ponto, houve alguma fala ou orientação específica que ajudou em seu desempenho?
Era mais sobre a dinâmica entre ela, Carl e Peter. Era sobre o lugar dela naquele tripé e era sobre a colaboração entre os três e isso me lembrou da escola de atuação. Eu tinha 18 anos quando estava no NYC e você realmente confia em seus colegas e me lembro de tentar descobrir que música estaria no fundo de nossa final de Shakespeare – era Toxic de Britney Spears ou …Baby One More Time – levamos isso tão a sério e passamos horas discutindo e explicando por que pensávamos que deveria ser isso ou aquilo.
Por alguma razão, a atenção que A.E. deu aos seus escritos me levou pessoalmente a esse lugar e é de onde eu vim e de onde trouxe minha paixão pessoal por atuar. Eu sou meio geek em atuação, então trouxe isso para A.E. como escritora de ficção científica, sobre o qual eu não sabia nada! [Risos] Foi divertido mergulhar naquele mundo, de verdade, e agora sinto que faço parte do clube.

Sendo este um episódio de época, como foi se inclinar para as possibilidades de Mad Men do cenário para encontrar sua performance?
Eles construíram cenários especiais para este episódio, que eram tão exuberantes e que o tornam mais fácil desde o início. Além disso, o departamento de figurino, cabelo e maquiagem … Nunca fiquei tão maravilhada; isso realmente ajudou. Eu usei óculos no meu teste, eu tinha essas armações vintage que [o diretor do episódio e co-criador da série]Rob McElhenney me perguntou no set se eu queria usá-los como A.E. Isso é o que é tão legal sobre Rob: ele não queria realmente mudar muito do que ele viu comigo na audição. Obviamente, estou trabalhando com verdadeiros artistas em figurino, cabelo e maquiagem e eles elevaram tudo e me senti muito transformada. Na verdade, nunca me diverti tanto interpretando um personagem.

Como foi trabalhar com Josh Brener e Michael Cassidy como seus parceiros de cena enquanto o episódio mostra A.E. no tempo?
Tudo que eu tive que fazer foi olhar para eles e eu sabia exatamente onde deveria estar. Não estou apenas dizendo isso: eles são artistas irreais e parecia um tripé. Todos nós apenas geeks juntos e tudo deu certo. Rob sabe o que está fazendo e nos colocou lá e deu certo. Jogamos, as coisas mudaram e se moveram, coisas foram adicionadas e retiradas e nós seguimos em frente. Josh tem um monólogo de duas páginas e eu pessoalmente mal podia esperar por esse dia e Michael e eu o observamos maravilhados. Para mim, parecia que ele estava dançando uma maldita dança e eu estava hipnotizada. Estou muito inspirada por ambos e adoro a dinâmica entre os três e foi realmente comovente.

Quais são algumas coisas que você gostaria de manter para A.E. conforme a vemos com o passar do tempo?
O que é interessante é que a última cena [onde]vemos os três juntos é na verdade a primeira coisa que filmamos e isso foi estressante, começar no final. Rob realmente trabalhou conosco nisso e algo que Rob viu de mim, que ele queria capitalizar ou explorar, foi que eu continuei torcendo meu nariz porque os óculos caiam porque eles realmente são esses tipos de óculos pesados. [Risos] Ele amou isso para A.E., apontou e me pediu para fazê-lo novamente, e isso foi informação suficiente para eu saber que era seguro jogar A.E. como uma parte elegante e a outra parte que simplesmente derrete quando as coisas ficam emocionantes e ela pode ser geek. Isso é algo que posso relacionar pessoalmente e Rob e eu conversamos sobre e ele me encorajou a ir mais longe. Acho que parte da fisicalidade que acontece, aconteceu por causa daquela conversa que tivemos.
Estou empolgada com isso e, na dúvida, estava com isso no bolso de trás; isso e empatia. A empatia foi grande para mim com essa personagem, para poder estar nessa dinâmica. Você estava falando antes sobre ser um episódio de época e aqui está uma mulher nos anos 70 tentando se tornar uma escritora de ficção científica e não havia muitos deles. É mencionado em uma das cenas, a maneira como as mulheres são tratadas, e você poderia interpretar isso como sendo desagradável de volta, mas isso não é A.E. Ela realmente sente pena de Carl que ele tenha ido lá. Isso era algo que eu estava animada para interpretar e Rob frizou isso. Ele não viu dessa forma inicialmente porque queria que A.E. lutasse por si mesma, mas ambos pensamos que ela estava sempre disposta a colocar seu próprio ego de lado e você tem que ser uma pessoa realmente empática para ser capaz de fazer isso. Foi algo que eu não tinha encenado muito antes, então foi muito, muito divertido e desafiador.

Conversei com vários escritores e produtores da série e eles sempre parecem abertos às sugestões do elenco. Além daquele senso de empatia e contração do nariz, houve alguma outra coisa que você forjou em sua performance enquanto trabalhava com Rob?
Fizemos a cena da bebida depois, é o segundo dia, e só a segunda cena que estive como A.E., depois da última parte como A.E. e agora estou fazendo uma cena de bêbada. Ainda havia mais para descobrir e estou fazendo a passage, depois que sairmos para o bar, após nosso primeiro dia de trabalho juntos. Shelley, quando está bêbada, pode ser muito física e chegar nas pessoas e deixá-las saber que está com você quando você está vibrando. [Risos.] Isso estava saindo e eu lembro que Rob me puxou de lado entre as pausas e disse, “Eu tenho uma ideia. Acho que A.E. é alguém que permite que as pessoas venham até ela.” Em primeiro lugar, fiquei com vergonha de não ter pensado nisso e de não ter interpretado aquilo e agradeci a ele e isso realmente deu o tom para mim com A.E. e me ajudou a ficar ainda mais fundamentado naquele espaço. Essa foi uma nota muito importante que Rob me deu.

Mesmo que esta seja uma aparição única como A.E., do que você realmente tem orgulho de poder fazer parte de Mythic Quest?
Fiquei feliz por fazer parte disso. Eu estava tão envolvida no enredo – estou suando agora e isso é realmente uma prova de como me sinto sobre a série como um todo. É tão legal fazer parte da história de C.W. F. Murray Abraham é um ator tão brilhante e fazer parte de algo que ele traz à vida, simplesmente faz eu me sentir humilde e maravilhada!

Matéria | Tradução e adaptação: Equipe Shelley Hennig Brasil



Shelley Hennig está seguindo em frente. 

Pulando do seu mundo da dança, para um concurso de beleza e para seu espaço como atriz, onde atualmente trabalha (e está nele por um tempo), Hennig está se agarrando a qualquer possível oportunidade e tirando proveito. “Até você descobrir o que você quer, tire proveito do que, pelo menos, está na sua frente.” É um conceito simples, mas a atriz Shelley Hennig tem mostrado como isso pode dar certo. Como um jogador de poker habilidoso, ela desafiou e jogou com as mãos certas, mas nós não podemos evitar de imaginar quais cartas ela tem segurado tão perto de seu peito. Submission Beauty conversou com a atriz multi-talentosa, Shelley Hennig, sobre sua carreira e a vida privada conforme ela nos deu um vislumbre das cartas que tem em mãos. 

Posso te chamar de celebridade? 

“Não sei,” Shelley respondeu rindo. “Eu sinto que a gente teria que dar um google nisso, eu não quero errar isso.” Com 3,2 milhões de seguidores no Instagram, um título de Miss Teen USA, e mais que algumas séries e filmes populares no seu currículo, você imaginaria que a resposta seria bem clara. Mas, tendo estado nos holofotes desde os 16 anos, parece que ela está voando muito perto do sol para notar a diferença. Nós concordamos em chama-lá de “pessoa popular” e continuamos nossa conversa. 

Até agora eu pude aprender, com a nossa conversa, que sua ascensão em Hollywood não foi tão direta quanto eu pensava. Foi mais como uma oportunidade apresentada a ela em uma sequência de eventos afortunados decorrente da sua paixão – a dança. “Através da comunidade da dança e meus mentores vieram outras oportunidades que me permitiram ser parte de coisas que nem todo adolescente tem oportunidade, como onde tudo começou: O concurso de beleza, Miss Teen Louisiana USA. De alguma maneira eu ganhei o concurso e não me dei conta até participar do Miss Teen USA, então eu ganhei este – também – e comecei a viajar, o que era muito legal para mim porque eu sou de uma pseudo pequena cidade em Louisiana. Eu queria fazer algo maior que eu, mas isso foi – definitivamente – ideia da minha professora de dança e graças a Deus, pois foi assim que eu encontrei a atuação.” Saindo da comunidade do mundo da dança que ela conhecia para o palco internacional do Miss Teen USA, aos 17 anos, não deve ter sido fácil. Quando eu a perguntei sobre a pressão que ela deve ter sentido, ela se lembra de tempos de vulnerabilidade e responsabilidade. “Eu não sabia onde eu estava me enfiando. Eu lembro como eu me senti vulnerável tão jovem. Eu tinha 17 anos quando eu ganhei o Miss Teen USA e eu estava falando em público sobre assuntos adultos uma semana depois. As pessoas estavam me ouvindo e isso parecia muito bizarro, e para ser honesta algumas vezes era constrangedor falar para os meus colegas com uma tiara e uma faixa. Mas eu levei isso muito a sério e, realmente, dei tudo de mim da maneira mais identificável possível. (como quebrar as regras do Miss Universo e tirar minha saia.) Isso era o mais importante para mim. Isso e ver como minha comunidade estava orgulhosa de mim por representar Louisiana à nível nacional. Eu nunca decepcionaria eles.”

SOBRE AMOR PRÓPRIO 

“Agora, estou numa piscina, pelada, no celular com você. O que só é esquisito porque eu te contei. Mas para mim, amor próprio é se cuidar. Eu amo a água. Eu odeio trajes de banho. Entrevistas me deixam nervosa. Então, eu estou achando um meio de ficar mais confortável. Também como uma perfeccionista em recuperação, algo que me ajudou a me amar mais foi aceitar estar errada e, mais importante, estar disposta a ser ensinada. Talvez não seja surpresa, mas no passado, existia uma pressão em mim para responder e inspirar. Agora que eu ganhei mais responsabilidades pelas coisas que quero, eu sou – naturalmente – mais curiosa. E eu estou super sedenta por inspiração e conhecimento de outras pessoas. Deixar o passado para trás é algo muito vulnerável e sinto que eu estou trabalhando muito duro para isso, o que parece que está dando certo. Eu sinto como se tivesse feito muitas coisas ao contrário na minha vida. Então, não é surpresa para mim que eu me sinta como um recém nascido agora . A mesma quantidade de choro, talvez não tantas fraldas sujas, necessidade de colo constante, muito a aprender, mas feliz em estar aqui ao final do dia.” 

Ter que deixar estranhos ver sua vida durante a adolescência, e até assumir o papel de pessoa exemplar, era um conceito estranho para mim. Mesmo que ela não tenha sido um popstar na adolescência, a imagem de uma azarada Hannah Montana passou pela minha cabeça (sem o privilégio de uma vida dupla que uma peruca poderia oferecer). 

Hoje em dia, com qualquer tipo de fama vem todo tipo de criticismo indesejado e, às vezes, injusto. Será que sua vida adulta maravilhosamente privada e cuidadosamente curada poderia ser resultado de sua compreensão da necessidade de autopreservação? De primeira, ela não acredita nisso. “Eu diria que tem uma responsabilidade que vem com o ganho de seguidores. Eu me mantenho na realidade, mas eu – definitivamente – sou cautelosa e eu me sinto segura desse jeito.” Eu a perguntei se é por isso que ela criou uma bolha.  Para preservar e proteger seu verdadeiro eu. Ela pausa, e então ri.  “Essa é uma boa pergunta. Eu não tenho certeza do que veio primeiro. Acho que estou tentando cuidar da minha ressaca de responsabilidade com um entretenimento leve – falar sobre as repercussões de beber bebidas alcoólicas e dirigir, como Miss Teen USA, pouco tempo depois de perder meu irmão por causa disso, me feriu. Eu fiquei feliz em me afastar disso, mas então as redes sociais nasceram e eu me senti pressionada novamente. Eu acho que, agora, as pessoas que me seguem apreciam a pausa da realidade dura da vida. Eu acho que eu guardo as minhas partes mais vulneráveis para o meu trabalho como atriz.” 

“… as pessoas vão fazer suas pesquisas, e eu sentia como se o que tinha lá sobre mim era sobre mim e não de mim.”

“…Vi a oportunidade de conquistar minha imagem.”

Independentemente de quão perto do peito ela decidiu se retratar na mídia, ela definitivamente realizou seu desejo de entreter. Digo a ela que uma olhada de cinco minutos em seu IG sempre me deixa apreciando seu tipo único de humor e conectando-me com o humano por trás de sua popularidade. “Estou tão feliz em ouvir isso. A única coisa reveladora sobre minhas redes sociais é meu claro amor pelo estilo de vida nudista do deserto. Sou inspirada por outros que mergulham um pouco mais fundo e adoro compartilhar o trabalho árduo que estão fazendo. Sinceramente, só quero fazer um show de variedades”.

Hennig tem tido bastante sucesso em moldar sua imagem de uma forma autêntica, ao mesmo tempo em que oferece a si mesma alguma proteção. “Parte do motivo pelo qual ganhei uma conta no Instagram foi para consertar minha pesquisa de imagens do Google, para ser totalmente honesta. Não representava quem eu era. Sempre confundia as pessoas quando me conheciam na vida real e eu odiava isso. Quando comecei com tudo isso, foi uma época em que você tinha menos controle e quem estava no controle, estava mais preocupada em encaixá-lo em um molde do que permitir que você se expressasse. Mas era uma época diferente. Agora você tem mais a dizer e espera-se que contribua, e a alternativa parece ridícula. Eu mantenho isso bem simples na minha vida pessoal. Meu estado natural é provavelmente o visual de paparazzi de posto de gasolina de Britney Spears que grita conforto. Nós crescemos não muito longe um do outro e andamos descalços de onde viemos. Em um evento, adoro usar um grande número/vibração de dança ou patinação no gelo, e quando estou desenvolvendo um personagem, uso o estilo como uma forma de entrar e estou disposta a correr mais riscos quando faço isso.”

NA BELEZA
“Acho que a Geração Z está mudando o que“ beleza” significa e estou aqui para isso. Não há molde. Quanto à merda da superfície, cansei de toda a confusão. Não sinto falta de usar uma mecha no cabelo e minha base é um pouco mais transparente. Estou gostando de ser mais reveladora e menos complicada. Estou feliz que é onde podemos estar agora. Exceto quando eu for para casa no sul. Meu melhor amigo está sempre, “Cadê seu delineador!?””

Na minha opinião, a atriz Shelley Hennig não tem problemas em correr riscos ou em ser versátil. Eu pensei, como um super fã de The Secret Circle e amante do terror do tabuleiro Ouija, ela poderia fazer tudo. Só quando ela fala de seus papéis atuais e futuros como uma espécie de crescimento é que a caixa que esses papéis criaram para ela começa a se mostrar. “Eu não estou mais brincando de adolescente. Cada título que eu tive tem a palavra “adolescente” nele. Agora, estou fazendo um projeto chamado “The Woman in the House”. Eu não sou a mulher da casa, mas não estou mais brincando de adolescente, obviamente.” Eu pergunto como é viver em um mundo adulto enquanto desempenha esses papéis de adolescente, e ela responde quase que instantaneamente, sem hesitação. “Foi divertido! Foi uma fuga. E estava segura. Sinto tudo menos segura o que estou fazendo agora e isso é emocionante também.”

Pela voz dela, parece que ela está exatamente onde deveria estar. Ela está animada para colocar no trabalho necessário para crescer, cavar mais fundo e permanecer fiel ao seu eu mais autêntico. “Em algum lugar o perfeccionismo parou de funcionar para mim. Isso me levou muito longe em uma indústria muito intensa, mas parou de me deixar feliz. Estou tentando estar mais presente agora. Eu tive que trabalhar para abrir mão do controle porque estava me deixando doente. Eu estava tentando descobrir o que era esse sentimento de trancamento, e era pressão. Mas quando pensei em quem estava me pressionando, percebi que era eu mesma. Agora, estou dizendo a mim mesma para calar a boca e viver minha vida, e é mais fácil falar do que fazer, mas está me dando relacionamentos mais significativos, me deixando muito mais feliz e acho que está tornando meu trabalho mais interessante.”

EM ENCONTRAR SENTIDO DE SI
“Uma jornada sem fim que exige muito trabalho árduo e apoio dos entes queridos. Nem sempre fiquei segura com minha identidade. Era mais fácil para mim quando era mais jovem e mais difícil à medida que cresci. Eu não estou tentando descobrir, no entanto. Tenho gostado de imaginar o que faremos quando o mundo se abrir novamente. Estou tentando ser aberta, o que espero que me traga ao meu eu mais autêntico, porque acho que há muito território desconhecido.”

Entrevista: Submission Beauty | Tradução: Shelley Hennig Brasil

Confira o ensaio fotográfico de Shelley Hennig para a Submission Beauty na galeria do SHBR!

INICIO > PHOTOSHOOTS > 2021 > SUBMISSION BEAUTY



Quando Shelley Hennig diz que é uma cafetina, temos que concordar. Entre sua longa lista de papéis como atriz, ela pode se orgulhar de ter sido Miss Teen USA, Malia Tate de Teen Wolf e mais recentemente Ramona da série Dollface do Hulu. Você já sabe: Hennig arrasou na parte de garota tradicional. Mas quando perguntam sobre o que virá a seguir para a estrela (e a personalidade favorita das redes sociais), Hennig lhe dirá: ela está pronta para desempenhar um papel mais adulto.
Suspiro. Preferimos que nossos ícones de beleza nunca tenham crescido, mas nós da Office ainda precisamos saber como, depois de interpretar muitas de nossas personagens favoritas, desde suas aparições em dramas de meados dos anos 2000 até seu papel de 2018 em When We First Met, da Netflix , Hennig ainda pode manter um brilho juvenil no ensino médio.

Desde os anos da Miss Teen USA, imaginamos Hennig como a irmã mais velha que sempre queríamos. Você sabe, quem nos daria das melhores maquiagens e nos ensinaria a aplicar delineador, enquanto fala todos os detalhes de sua nova paixonite.

Falando nisso, tínhamos que saber:

Quem é a celebridade que foi sua paixonite de infância e agora você é amiga? E quanto tempo você esperou até mudar sua bio do IG depois de se tornar amiga dele para que isso não ficasse estranho?
[Risada] JTT. Sou amiga de Jon há um tempo. E no ano passado, eu estava repassando minha vida na minha cabeça e quando cheguei à parte em que me tornei amiga da minha paixonite famosa de infância, fiquei muito feliz pelo meu eu pré-adolescente. Ele não sabe que eu desenhei seu rosto usando pôsteres dele da revista Teen Bop, e ele ainda não sabe, porque ele é legal pra caramba e não presta atenção à Internet. Ele é o melhor. Somos ligados pelos anos 90

Qual é a sua parte favorita sobre trabalhar em DollFace?
Meu primeiro pensamento é Kat Dennings. Ela é uma deusa. Mas já falei muito, provavelmente devo parar agora – está começando a parecer estranho. Pensando bem, é sempre legal fazer parte de um programa que é o tipo de programa que você mal pode esperar para assistir. E Dollface foi tão bom! Tem uma voz única e moderna (obrigado Jordan Weiss). Ele também tem uma gata literal. Como uma mulher com cabeça de gato. Interpretada por Beth Grant. Eu amo isso. Eu amei todos os envolvidos. Estou aliviado por mais shows como este serem feitos. Parece que agora há menos coisas ruins.

Parabéns pelo seu novo papel no piloto de comédia da NBC Crazy For You! O que você pode nos dizer sobre isso além de ser produzido por Lorne Michaels e Seth Meyers?
Posso dizer que estou realmente empolgada com isso. Parece que o momento em que o pé da Cinderela encaixa naquele sapatinho de cristal. Crazy for You foi escrita por Rachele Lynn, outra criadora do SNL, e ela escreveu dois dos meus programas favoritos – Pen15 e Baskets – então eu a amo.
Minha personagem é Daisy, e é sobre ela voltar para a pista depois que ela descobre seu ex tem muito tempo atrás e ela está muito enferrujada. Seus amigos a ajudam agressivamente a gerenciar essa nova cultura de namoro “rápido para descartar”. Ela realmente só quer ser ela mesma, mas seus amigos desaconselham. Rachele me disse que vai ficar bem pesado Meu Deus estou animada.

O piloto foi adiado, mas é bom ter algo pelo que esperar quando o mundo estiver de pé novamente. Qual é o seu vício de quarentena no momento?
Bem, eu já tinha maratonado as 10 temporadas de Friends e 5 temporadas de Love Island antes da quarentena, então fiquei realmente chateada comigo mesma e me perguntei o que diabos eu ia fazer. Acho que não vou terminar o resto das temporadas de Love Island. Me tornei uma viciada e, para ser sincera, muitas pessoas daquele programa morreram desde então. Me sinto estranha com isso, e me deixa triste.
Mas enfim, descobri Tiger King, da Netflix, e Joe Exotic agora é meu novo ícone de moda. Eu realmente me identifico com o guarda-roupa dele e mal posso esperar para mergulhar nisso mais profundamente quando voltarmos ao mundo físico. Também estou passando tempo com Virtual Piano. Percebi que todo mundo está aprimorando suas habilidades musicais, e me senti deixada de fora, então comecei a pensar que se eu pudesse tocar piano online digitando, eu também poderia fazer música. (Eu tenho um WPM (palavras por minuto/pessoa que digita muito rápido) muito alto e isso inclui precisão.) Depois, pesquisei no Google e, é claro, é possível online! O Piano virtual permite digitar a música usando folhas de música com o alfabeto em inglês. Eu posso começar a participar das competições online.

Qual é o seu signo e quão certo ele está?
Capricórnio. Meu Deus, eu acabei de ler, “Corajoso o suficiente para nunca fugir, mas constantemente com medo de seus monstros internos.” Eu me sinto muito exposta. Também diz que os capricornianos são responsáveis, disciplinados, têm autocontrole e realmente acreditam que podem conseguir qualquer coisa com muito trabalho. Ah, isso me fez rir: “Capricórnio não gosta: quase tudo em algum momento.” Tudo bem preciso e aprovado pela minha mãe.

Qual é o único produto de beleza que sempre encontraremos em você?
LUCAS PAPAW OINTMENT. Ótimo para os meus lábios. Então eu coloquei o resto nos cotovelos para limpar os dedos, e ele se espalhou por todas as minhas poltronas de couro, o que eu acho que está bem. Eu o uso com tanta frequência que provavelmente deveria olhar para o meu problema real – desidratação. Ou posso culpar o deserto.

A sustentabilidade é uma consideração importante em sua rotina de beleza?
Tornou-se parte da minha rotina desde que parei de comprar merda. Todos temos uma gaveta ou armário cheio de produtos e maquiagem que não usamos. Atualmente, estou analisando tudo o que tenho em casa antes de comprar qualquer outra coisa. Jogue um pouco de álcool na velha paleta de sombras MAC de 2009 e termine. Como meu pai diz: “Não vai doer.”

Como você toma o autocuidado enquanto gerencia seus enormes seguidores nas redes sociais?
Hmm … não é como se eu tivesse a “pressão da postagem”. Eu poderia ir ainda mais longe e dizer “a pressão de ter uma conta na rede social”. Eu lutei com a idéia de fazer parte dela alguns anos atrás, mas isso se tornou inevitável. Eu sou bastante privada em relação à minha vida pessoal, por isso vejo minhas contas nas redes sociais como mais uma saída criativa.

Você teve muitos papéis e títulos: Miss Teen USA, Stephanie Johnson em Days of Our Lives, Blaire Lily em Unfriended, Malia Tate em Teen Wolf, entre muitos, muitos outros. Do que você mais se orgulha?
Uau, isso é estranho! Tenho orgulho de todos eles, mesmo aqueles onde meu cabelo é enorme e meu delineador é grosso pra caramba. Eu acho que o engraçado sobre os papéis que você mencionou é que eles são todos adolescentes. Eu fiz uma carreira de adolescente por uma década quando adulta, e, apesar de adorar, acho que finalmente me formei. A única adolescente que eu poderia interpretar nesse momento seria no PEN15.

Qual é a sua cor/forma/design/etc favorita de unha?
“Curto, redondo e nu”, digo para unhas. Minha manicure favorita é minha amiga Michelle Saunders. Ela é incrível e pura, mas eu também sigo @iamzoie, e ele publica comentários em vídeo de uma “arte” bizarra das unhas que ele encontra on-line que faz você questionar a beleza e a própria vida. Provavelmente, essas são as coisas que seus filhos estavam assistindo no YouTube até antes da quarentena.

Qual é uma dica de beleza que você manteve de algum de seus papéis?
Aprendi ao longo dos anos que às vezes menos é mais.

Entrevista: Office Magazine | Tradução: Shelley Hennig Brasil

Confira o ensaio fotografico de Shelley Hennig para a Office Magazine na galeria do SHBR!

INICIO > PHOTOSHOOTS > 2020 > OFFICE BEAUTY MAGAZINE

 

.



Durante os intervalos da estreia da 6ª temporada de ‘Teen Wolf’ esta terça, foram mostrados vídeos da Shelley Hennig com o Tyler Posey jogando “Isso ou Aquilo”, e a equipe do Shelley Hennig Brasil legendou o vídeo pra vocês! Confiram:

  • PARTE 1:

    • PARTE 2:

    • PARTE 3:



A estréia da 6ª temporada de Teen Wolf é em um dia e o HollywoodLife.com conseguiu uma entrevista exclusiva com Shelley Hennig sobre o que está por vir para Maria. Com Stiles sendo completamente apagado de sua vida, Shelley admite que Malia vai mudar muito. E mais, será que podemos ter esperança para um romance entre Scalia?

Qual vai ser a arca da Malia nessa temporada?
Eu acho que não lembrar do Stiles, isso vai causar efeito muito grande em todos os personagens e vai ser interessante ver em como isso afeta um ao outro. Malia tinha o Stiles uma grande âncora. Ele era a âncora dela, então eu acho que ela vai ficar um pouco fora de controle.

Tem algum potencial para romance nessa temporada?
Sim! Sim! Tem algumas coisas. Eu não sei se é tradicional. É tudo que eu posso dizer.

E Scott e Malia? Alguma esperança entre eles?
Malia e Scott seria um casal engraçado. Eu acho que Malia com qualquer pessoa é um casal engraçado. Eu acho que o Scott poderia ajudar ela. Talvez a Malia possa ajudar o Scott a se soltar um pouco mais.

Com o retorno de Theo, qual vai ser a dinâmica de Theo e Malia nessa temporada?
Espero que continuem com o Sr. e Srª Smith porque é muito bom de interpretar.

A 6ª temporada de Teen Wolf estréia amanhã na MTV americana e você pode conferir o episódio e mais novidades sobre aqui no nosso site e em nossas redes socias!

Tradução e adaptação: Equipe Shelley Hennig Brasil
Fonte: HollywoodLife



A reunião de mãe e filha que os fãs de Teen Wolf tem esperado desde que ouviram as palavras “Loba do Deserto”, finalmente chega terça-feira.

“O episódio 14 é bem centrado na Malia,” o produtor executivo, Jeff Davis, conta ao TVLine. “Ela aprende que a Loba do Deserto tem Deaton como refém e que ela está presa em como lidar com sua mãe.” Davis adiciona que a história da Loba do Deserto irá “ser grande parte” da arca da 5ª temporada parte “B”.

Shelley Hennig e Marisol Nichols trabalham muito bem juntas.” diz Davis. “Elas tem umas cenas muito tensas e até uma cena de luta muito boa nessa semana. E também uma outra cena muito grande de luta por vir. – Um grande confronto que acontecerá nessa temporada.”

E enquanto nós já estamos falando de “melancolia” e coisas ruins, aqui vai uma para os fãs de “Stalia“: A chegada da mãe de Malia não vai resolver os problemas existentes entre o casal.

“O relacionamento se torna um problema bem maior, especialmente quando a Loba do Deserto se envolve,” Davis confirma.

Para saber mais sobre Malia e a nova temporada de Teen Wolf, acompanhe nosso site e atualizações!

Tradução e adaptação: Equipe Shelley Hennig Brasil
Fonte: TVLine



SHELLEY HENNIG Brasil • Hospedado por Flaunt • Layout por Lannie D